quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

RETROSPECTIVA EDUCAÇÃO 2012: ENTRE A ADAPTAÇÃO E O CONSENSO



 
O Ministério da Educação desenvolveu, no quinquénio (2008-2012), programas e acções, cuja implementação centrou-se no programa da reforma educativa, na reestruturação do serviço de inspecção escolar

 

Aos aspectos concorrentes para a melhoria da qualidade de ensino destacam-se dois factores, nomeadamente endógenos (carteiras, escolas, manuais, formação de professores) e exógenos (participação dos encarregados de educação no acompanhamento da vida escolar dos educandos gestão das instituições escolares).

 

O MED tem vindo a observar um aumento nas taxas de aprovação em todos os níveis de ensino e consequentemente diminuição das taxas de reprovação em todos os níveis de ensino.

 

Mpinda Simão acrescentou ainda notar com apreensão a estabilidade das taxas de abandono escolar, mas ainda há algumas preocupações a serem levantadas, no referente a proporcionalidade entre o aumento das taxas de aprovação e os níveis de conhecimento que os alunos possuem ao frequentarem uma determinada classe, a influência do nível de organização das escolas para obter uma qualidade de ensino aceitável de acordo com os padrões internacionais.

 

Na base destas projecções registou-se a implementação satisfatória do programa da Reforma Educativa, a formação e superação de docentes e gestores escolares, a disponibilização de material escolar e o programa de merenda escolar.

 

Persistem ainda muitas dificuldades na realização do processo de ensino, aprendizagem na escola e na sala de aulas provocado pela sistemática ausência dos locais de trabalho dos directores e professores e negligência generalizada, referiu.

 

No Cunene prevê-se a intensificação do ensino de adultos em 2013 o sector vai em 2013, intensificar o ensino de alfabetização a nível das localidades, visando permitir que mais cidadãos aprendam a ler e a escrever.

 

O programa conta com novos alfabetizadores que aguardam apenas por um seminário de capacitação para que no próximo ano lectivo sejam enquadrados no sistema de alfabetização, juntando-se aos 300 já existentes.

 

Ao nível dos municípios do Kwanhama, Cuvelai, Coroca, Namacunde, Ombadja e Cahama, o programa conta com alguns parceiros, sobretudo as instituições religiosas, que de forma positiva têm contribuído para a erradicação do analfabetismo. 10.650 adultos foram alfabetizadas no módulo I, que corresponde a 1ª e 2ª classes, de Março a Agosto do ano em curso, pelo programa de aceleração escolar.

 

No período de 2007/ 2011 foram já formados no município do Tômbwa mais de três mil jovens em diversos cursos médios, mormente nas especialidades de Geografia/História, Matemática/Física, Biologia/Química, Língua Portuguesa, Francês, Inglês, Ciências Exactas e Comunicação Social.

 

No Bengo a fuga de responsabilidade docente está a ofuscar o ensino a afirmação é do Secretário-geral do Sinprof/Bengo João Zacarias Pedroto que sustenta o facto dado não pagamento dos cargos de coordenadores de cursos, turma, turno, disciplinas e mais de 13 professores sem salário, subsídios de exame não desde o ano 2011 e o suprimento dos acordos ratificados entre o Simpro/Bengo e a Direcção provincial da Educação.

Preocupados com a qualidade de ensino em Angola o Instituto Superior de Ciências de Educação em Luanda ISCED realizou a 10ª jornadas científicas com o lema “A profissionalização e a investigação para a excelência da Educação Universitária”  onde procuram debater as mais diversas ideias relacionadas Debater as principais experiências que conduzam à nova reorganização da actividade de Educação.

 

Em benguela foram admitidos mais de cem novos professores no município de Caimbambo, 116 quilómetros a sul da cidade de Benguela, a admissão de novos professores, eleva-se para mil e 233 docentes a nível da circunscrição, que possui 101 escolas, sendo 99 do ensino primário.

 

Na Huila novas escolas albergam mais de 27 mil crianças na


enquadradas nos últimos três anos pela direcção provincial da Huíla da educação, graças a construção de seis mil e 868 novas salas de aula.

 

A província da Huíla contava, em 2008, com 35 mil crianças que não estudavam, número que caiu para oito mil em 2012, em função dos investimentos no sector. No presente ano lectivo foram matriculados na província da Huíla um total de 724 mil e 726 alunos, que estudam em mil e 817 escolas.

 

 

 

Sem comentários:

Enviar um comentário