quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Redes sociais desestabilizam famílias





Redes sociais desestabilizam famílias

Afirma o Sociólogo Sebastião Merlen, que aponta a insegurança exposta por estas redes virtuais, o tempo dedicado pelos utentes, a exposição de informações familiares assim como a partilha de outros elementos de identificação, facto que expõe vulnerável a família ao ponto de desestabilizá-lo.

O académico garantiu que a insegurança pela qual os jovens estão mergulhados, sempre que estes partilham informações com pessoas supostamente conhecidas, atrai como consequências ao mundo real o roubo, o sequestro, o assalto, a invasão às contas de correio electrónico, Myspace, Twitter, Facebook e outras redes virtuais através dos hackeres.

Sebastião Merlen disse que embora a sociedade angolana não tenha um historial hodierno sobre casos de predadores sexuais, que tenham origens nas redes sociais, urge a necessidade dos jovens e adolescentes que sem critérios de segurança expõe a vida pessoal e o da sua familiar deliberadamente se acautelarem do assédio que estas redes oferecem.   

De acordo com o Sociólogo actualmente a apropriação das redes sociais pela juventude angolana, está a restringir-se no entretenimento, através da partilha de fotografias e de crianças expostas pelos irmãos sem autorização dos pais, a identificação do local de trabalho e da nova residência às pessoas desconhecidas, supostos amigos.

Para o académico esta atitude tomada em grande proporção pelos jovens está a colocar a integridade familiar particularmente a de Luanda numa condição vulnerável, pois tem sido com facilidade a aquisição dos dados familiares como fotografias dos filhos, pais e parentes próximos expostos por estes jovens às redes virtuais, por simples assédio da moda tecnológica.

Perfis falsos estão por detrás dos crimes

Sebastião Merlen exemplifica, que quando uma fotografia é roubada ou copiada da página do seu proprietário, pode ser alterada e resultar na criação de um novo perfil para se fazer passar pela pessoa real, e esta pessoa, agora com o perfil falso pode criar chantagens ao ponto de extorquir familiares e parentes próximos.
O Sociólogo adverte às famílias a pautarem por um cuidado máximo sempre que seus filhos menores de idade, estejam a interagir em redes sociais, por intermédio de um controlo de suas contas, e as actividades que estes desenvolvem nas redes sociais. Mudar a passaword e procurar saber os nomes verdadeiros de seus amigos são entre outras formas de dos pais saberem com quem os seus filhos interagem.
Muitos dos utilizadores das redes sociais, nao têm consciência das consequências da divulgação da sua informação pessoal e privada em redes pessoais. Segundo informações da organização da maior rede social, Facebook dão conta de que 46% dos utilizadores do Facebook aceitam pedidos de amizade de estranhos; 89% dos utilizadores da faixa etária dos 20 divulgam a sua data de aniversário; Quase 100% dos utilizadores divulgam o seu endereço de e-mail; Entre 30-40% dos utilizadores listam dados sobre a sua família e amigos  

As redes sociais devem servir para o ensino e detenção de criminosos
A sugestão do Sociólogo vem a propósito de muitos meliantes, e predadores sexuais usarem as redes sociais com perfis falsos, para sentirem as reacções dos seus crimes, e seria neste contexto em que a Polícia Nacional de Investigação Criminal deveria também fazer-se presente para contrapor tais actos através de uma busca árdua sobre estes autores.
Para Merlen o ensino e aprendizagem teria novos espaços, no caso as redes sociais caso os professores criassem juntamente de seus estudantes programas virtuais, onde pudessem partilhar temáticas didácticas, tirar dúvidas e promover o debate, com o objectivo de alargar o campo de conhecimento e estimular a aprendizagem.  
Muitos dos utilizadores das redes sociais, têm muito pouca consciência das consequências da divulgação da sua informação pessoal e privada em redes pessoais. Segundo investigações recentes dão conta de que 46% dos utilizadores do Facebook aceitam pedidos de amizade de estranhos; 89% dos utilizadores da faixa etária dos 20 divulgam a sua data de aniversário; Quase 100% dos utilizadores divulgam o seu endereço de e-mail; Entre 30-40% dos utilizadores listam dados sobre a sua família e amigos  


Sem comentários:

Enviar um comentário